sexta-feira, 17 de agosto de 2012

A Geografia da Esperança

de Cristina Baumgarten

Em 1850 um grupo de imigrantes alemães, capitaneado pelo Dr. Hermann Otto Bruno Blumenau, chegou ao sul do Brasil para aqui estabelecer uma importante colônia. Do pequeno povoado formado por essas pessoas que vinham da Europa em busca de uma nova vida, surgiu a cidade de Blumenau, hoje um grande pólo da indústria têxtil, de tecnologia da informação e um dos maiores expoentes da cultura germânica nas Américas.

Baseada nessa saga, a escritora Christina Baumgarten escreveu A Geografia da Esperança, um romance histórico. A obra serve de unificação para o imaginário coletivo, que, a partir da leitura começa a ter uma ideia de como eram e como viveram os pioneiros que enfrentaram a fúria dos mares e os desafios de desbravar e viver em um lugar tão longínquo. Pesquisadora, Cristina brinda o leitor com sua visão romanceada dos fatos. O cotidiano dos pioneiros é ficcionalmente apresentado, com muitos diálogos.

O título cai muito bem ao livro, pois do começo ao fim a escritora mostra que o que move o ser humano é sim a esperança. O Dr. Blumeanu, imbuído de um espírito aventureiro e com o aval do império brasileiro, recrutou um grupo de compatriotas que não viam mais uma luz no fim do túnel em seu país, para viajar ao Brasil em busca de uma nova vida.

Porém, apesar de ter em mãos uma história fantástica para contar e uma imaginação produtiva, Christina não apresenta um estilo diferenciado – que é o que se espera em um romance histórico. A autora não consegue transpor as barreiras do interesse local. Não há muitos elementos surpresas e, por vezes, a história se torna repetitiva.

A linguagem é simplória, sem muito rebuscamento – outra característica encontrada em romances históricos, mas que não se vê neste caso.

Destaque também para o prefácio do então prefeito da cidade de Blumenau, Sr. Décio Lima, que não poupa elogios à escritora e aproveita para jogar com o bairrismo local, imortalizando sua demagogia política.

Ainda assim, principalmente pelas características apresentadas no início dessa resenha, vale a pena ler. No mínimo você vai passar a imaginar a gênese da cidade de Blumenau e entender que, apesar do que os que não se aprofundam na história dizem, não foi um início muito glamoroso.

-----------------------------
© A Geografia da Esperança - Um romance dos pioneiros de Blumenau
© Christina Elisa F. Baumgarten
© Hermann Baumgarten Editora Ltda. (HB Editora)
© 2002